31.12.07

Ano Novo?

A poucas horas do novo ano todos se preparam para "um começo"...um ciclo vicioso para ajudar a ultrapassar os momentos menos bons...a estratégia pouco realista para ganhar alguma energia para o que vem...às doze passas atribuem-se desejos apressados para manter a tradição...no champanhe procura-se uma breve anestesia...no dia seguinte sobra o muito que habitualmente nos sabe a pouco...a nossa vida...faremos dela o que quisermos...

...todos os dias....


2.12.07

O ponto mais alto da minha semana....

"A strange kind of love
A strange kind of feeling
Swims through your eyes
And like the doors
To a wide vast dominion
They open to your prize..."


26.11.07

Crescer?

Sou só eu que quero para ontem o que o futuro me pode trazer amanhã? Maldita impaciência que me faz querer terminar... mas começar...que me faz lutar comigo mesma...sinto-me a rasgar por dentro!!! É isto a que chamam crescimento pessoal? Qualquer dia a roupa não me serve!

19.11.07

Chuva


Finalmente chove...água...acordei de manhã e senti bater...bate na janela o ingrediente essencial da vida...hoje posso ficar a ouvi-la...respiro fundo e fecho os olhos...o quente da roupa aconchega-me o pescoço...ouço e respiro...e deixo-me ir...


6.10.07

Opções

Fui despertada, faz pouco tempo, para o facto de cada um fazer as suas opções.Obstinada como sempre, transpiro de irritação por não conseguir que os outros entendam o meu ponto de vista...esqueço-me frequentemente que todos têm que seguir a sua vida, cometer os seus erros, criar os seus próprios ciclos...viciosos...

E eu aqui, prendo-me com a vida alheia esquecendo-me que também tenho que fazer opções...continuo a achar que o caminho mais fácil não é para mim...continuo a sentir que sou diferente...destesto escolher...

15.9.07

Mundo

Uma forma muito especial de mostrar que mundo e a vida está nas nossas mãos...basta termos habilidade para tal...

24.8.07

Canseira de Férias...

De férias faz duas semanas, teimo em delegar as poucas responsabilidades para os últimos dias...com uma agenda prévia bem organizada, consegui cumprir o nada!!! Perdida nas minhas almofadas e nos livros que se acumulam escrupulosamente por ordem de preferência, teimo em não aproveitar o pouco que o Verão nos tem para dar....a ressaca de horas por dormir e o desejo de preguiçar teimam em manter o meu redondo nariz dentro de casa.Mais uma vez a primeira semana de trabalho será acompanhada pela exclamação de sempre: "Porra, já podia ter feito isto faz séculos!!"

9.6.07

Filme

Estou naqueles dias em que a minha vida deveria ser um bom filme...tudo é possível...a razão não me comanda...e o final é inesperado... a banda sonora é de luxo!

29.5.07

Maio

Aos 27 anos tenho saudades de:

- ter que fazer o lanche a tempo de ver os desenhos animados sentada no sofá;

- andar de bicicleta por tempo indeterminado em busca de tangerinas interditas, para o lanche;

- jogar badmington na rua até todas as penas estarem no telhado do vizinho;

- pôr música em altos berros enquanto faço tarefas domésticas, para um dia ser uma boa dona de casa;

- montar uma tenda na varanda da casa da minha melhor amiga para fazer uma longa sessão de leitura;

- fazer recortes em papel de lustro;

- apaixonar-me incondicionalmente;

- fazer longas caminhadas porque não há idade para ter carro;

- ficar na praia até às nove da noite e jantar à meia-noite;

- jogar cartas na varanda até altas horas da noite, a coçar as mordidas das melgas;

- começar a manhã sentada num banco da escola com todos os amigos, a aguardar pelo último minuto que nos livra da falta;

- fazer um programa de rádio para a melhor turma de sempre;

- faltar às aulas numa tarde amena de Primavera e ficar numa esplanada a ver quem passa;

- namorar às escondidas;

- rezar para não bater no carro de trás, porque o travão de mão não funciona, os pneus estão carecas e o último lugar disponível, além de inclinado, é demasiado pequeno;

- fazer anos ao som das Guitarras de Coimbra, no conforto da capa traçada;

- numa noite de Verão ouvir música no escuro com a janela aberta;

- sentir liberdade....


28.4.07

Descompliquem e Cuidem-se!!!

Estudo português volta a destacar o peso dos factores psicológicos na cama

por Clara Soares

As roupas são atiradas para o chão, os namorados envolvem-se em carícias mais intensas. Tudo parece correr às mil maravilhas, mas os neurónios dos protagonistas aventuram-se por terrenos pantanosos. «E se ele olhar agora para a minha barriga? Vai ver a maldita celulite...», rumina ela, mudando rapidamente para outra posição. «Tenho que a satisfazer, não posso fraquejar agora», diz ele para si mesmo, enquanto a aperta contra si com o sorriso mais provocador que consegue fazer no estado de pressão que sente. O guião desenrola-se como esperado, mas passado algum tempo as vozes internas começam de novo a ecoar. «E se eu não for capaz de repetir?», adivinha-se na expressão dele. «A única coisa que quer é satisfazer-se», ocorre-lhe a ela, durante os minutos silenciosos em que retomam os preliminares.

Cenários deste tipo são comuns nos jogos de alcova dos portugueses. A confirmá-lo, os resultados de uma investigação realizada no ano passado pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), apresentada este mês no primeiro congresso sobre saúde sexual, em Sydney, na Austrália (e considerado o segundo melhor manuscrito). Com base numa amostra de 662 participantes (sendo 96 deles utentes das consultas de sexologia dos Hospitais da Universidade de Coimbra), o psicólogo Pedro Nobre, 37 anos, conclui que os pensamentos e as crenças sexuais influenciam as condutas íntimas e revelam-se determinantes no desenvolvimento de disfunções. «Isto acontece», explica, «quando os insucessos experimentados ao longo da vida se interpretam de modo catastrófico - "Sou um falhado", "Sou sexualmente incompetente" -, levando a pessoa a focar-se na antecipação do fracasso e não no prazer da situação.»

A análise dos resultados mostrou que os mitos tradicionais e conservadores coexistem com crenças irrealistas acerca do desempenho sexual. Exemplo disso é a ideia do macho latino, sempre pronto para a acção. O nível de exigência é tal que qualquer imprevisto que conduza a uma falha - cansaço, consumo de álcool em excesso, por exemplo se traduz numa grande fragilidade pessoal e, em última instância, em reacções de evitamento. Outro dado revelador: homens e mulheres com disfunções alimentam ideias limitativas face à sexualidade (exemplos - a mulher satisfaz-se sobretudo com a potência do pénis; após a menopausa deixa de ter desejo; se pouco atraente, não consegue ser feliz na cama). Além disso, há tendência para a autoculpabilização e fracas expectativas de êxito no futuro, e raramente florescem pensamentos eróticos.

Mick Jagger "dixit "

Aqui poderia aplicar-se a expressão cunhada pelos Rolling Stones: homens e mulheres que não se sentem bem na sua pele sexual dificilmente obtêm satisfação e prazer, e os seus encontros são acompanhados de tristeza e desilusão. «Faltam crenças mais flexíveis na sexualidade», defende Pedro Nobre, que dirige actualmente o mestrado em Psicologia Clínica na UTAD. A chave para o bem-estar reside na mudança de estilos de pensar e sentir, «um trabalho que pode ser longo e passa pela descoberta de outras formas de interpretar as situações vividas».

Esta e outras pesquisas mostram que, contrariamente ao que se pensava desde os estudos de Masters & Johnson, não é tanto a ansiedade que inibe a resposta sexual, mas antes a presença ou a ausência de emoções positivas.

Para Pedro Nobre, o peso dos factores psicológicos no sexo deve ser reequacionado: «Trabalhos recentes mostram que as soluções farmacológicas, apesar dos seus efeitos de erecção, ficam aquém das expectativas de muitos homens e não funcionam na maior parte das mulheres.» Lá está - a cabeça é que manda.

"Top" das disfunções

Em 2003, o psicólogo clínico Pedro Nobre analisou, para a sua tese de doutoramento, os comportamentos sexuais de 566 portugueses. Concluiu que 52% dos homens e 76% das mulheres apresentavam dificuldades, assim elencadas:

Mulheres

Falta de desejo; Orgasmo difícil; Problemas de excitação, Dor na penetração

Homens

Ejaculação precoce; Falta de desejo; Perturbação do orgasmo; Disfunção eréctil

O que lhes passa pela cabeça

Mulheres

- Abuso sexual, Passividade, Fracasso/Desistência, Falta de afecto, Fraca auto-imagem corporal

Homens

- Dever de erecção, Antecipação do fracasso, Medo da idade


in Visão

26/04/07

11.4.07

As Pessoas...

Há as pessoas de quem não gostamos e ponto final...as que gostamos e odiamos gostar...as que suportamos conforme os dias...as que adoramos e não nos ligam nenhuma...as indiferentes...as que nos fazem falta...as que nos irritam num segundo, mas não vivemos sem elas...as de quem somos dependentes...as especiais...as maravilhosas...as que não conseguimos definir...as que nos fazem tremer os joelhos (sempre!)...as giras...as engraçadas...as "totós"...as que nos ensinam algo todos os dias...as que nunca vão olhar para nós...as que nunca vão mudar...as irresistíveis...as que espantam...enfim...as pessoas da minha vida!

11.3.07

As Novas Terças-Feiras

Sentada no corredor do hospital sinto-me frequentemente aliviada por não assumir o papel de doente! Diferentes rostos questionam a minha súbita entrada no gabinete do médico quando este finalmente chega... surpresa existe quando constatam que também eu vou aceder a cada um dos seus "submundos": "Está aqui uma menina!", reclamam.

Desbravo uma nova etapa profissional...aquela que até hoje mais vezes me tirou a preguiça...É um bom sinal!

24.1.07

Incapacidade

Existem dias que simplesmente deveriam ficar retidos no esquecimento...ninguém disse que cuidar dos outros era fácil...os que nos conhecem de trás para a frente teimam em se fazer de surdos...os que nos ajudam a criar a nossa história profissional insistem em medir forças...contudo a ambivalência está sempre presente: "quero mas não quero", pensam...até se decidirem vão jogando com os riscos, com os dias negros e os problemas que dominam o panorama...."pode ser que passe!".

Enquanto cavam um buraco bem fundo, eu aguardo no topo do mesmo com uma escada de emergência...tenho mais do que tempo para lidar com o meu sentimento de incapacidade...só posso ajudar quem quer ser ajudado....vou rezando para não me desequilibrar....

21.1.07

Silent Sea

Algo que me distraiu do meu estudo....vale a pena ouvir....


I was happy in my harbour
When you cut me loose
Floating on an ocean
And confused
Winds are whipping waves up
Like sky scrapers
And the harder they hit me
The less I seem to bruise


And when I
Find the controls
I'll go where I like
I'll know where I want to be
But maybe for now
I'll stay right here
On a silent sea
On a silent sea


I was happy in my harbour
When you cut me loose
Floating on an ocean and confused
And when I find the controls
I'll go where I like
I'll know where I want to be
But maybe for now I'll stay right here
On a silent sea
On a silent sea
Oh, stay right here
On a silent sea
On a silent sea, oh


And when I find the controls
I'll go where I like
I'll know where I want to be
Maybe for know I'll stay right here
On a silent sea


KT Tunstall, Eye to the Telescope (2005)

17.1.07

Corre...corre...corre....


Perdido nas “coisas da vida”, coração bate todos os dias como é suposto…o sangue circula-me nas veias…por vezes corre, corre, corre….quando dou por ela mais uns meses se passaram e o resultado imprime-se em folhas de papel que revelam o passaporte para o meu FUTURO! Ainda me falta qualquer coisa….